Entenda os impactos da Gordofobia na autoestima

Entenda-os-impactos-da-Gordofobia-na-autoestima

A autoestima é um dos principais combustíveis do nosso dia a dia, e nesse texto vou explicar porque eu afirmo isso constantemente para quem me segue. Ela interfere se a gente levanta da cama ou não – se trabalha, se estuda bem ou não, se a gente se ama quando acorda ou não. Ela é decisória, com certeza – interferindo nas nossas relações profissionais, parentais, pessoais, familiares e como sociedade.

O reconhecimento da autobeleza é um exercício diário de autoafirmação. Por mais que estejamos bem, todos dias alguém ou até nós mesmos tentamos nos relembrar como nossas aparências poderiam “ser melhor” – e talvez caiamos nessa armadilha deprimente.

Mas do que se trata a Gordofobia?

A princípio, de maneira meio míope: você pode enxergar a gordofobia somente como aversão e xingamentos de algumas pessoas para com pessoas gordas e sua condição, alinhando-se aos comentários negativos sobre corpos gordos ou as piadas cotidianas com os gordinhos, não é mesmo? ~ Ressaltando o que vimos no BBB21, piadas machucam, como machucaram o professor mineiro João e muitas pessoas pretas. ~ Ou enxergar como um tema muito pequeno ~como já me falaram~, que se trata somente como uma questão de preferência. Igualmente a situação onde tem gente que não gosta de barbudos, tem gente que pode não gostar de gordos e estaria tudo certo. Assim como no século XXI, até hoje tem gente que acha que não achar pessoas negras bonitas é só uma questão de preferência.

Gordofobia vai muito além: não se trata de um tema simples, onde só isso ou só aquilo resume tudo – se assim, deixamos de tratar de pontos fundamentais. E também não é só sobre o espelho ou os fundamentos dos padrões da beleza; sobre gostar ou não, ou preferir ou não corpos gordos. Ela se trata também do acesso à cidade e ao lazer -como o assento do ônibus, no avião, às roupas da moda ou com mais estilo, a um sistema de saúde não punitivista, à afetividade que é muito negada; ao desejo sexual e profissional que não nos pertence;  ~Se é difícil para iniciantes não-gordos na academia, por exemplo, imagina para os gordos, onde é uma guerra de olhares punitivistas. “Olha lá a/o gordinha/o fazendo exercício!”

Pessoas gordas sabem que são gordas e assim como pessoas que possuem algum tipo de deficiência, elas têm consciência sobre suas situações e nesse sentido esperam respeito e consideração verdadeira da sociedade.

Eu sempre fui uma pessoa gorda e socializado totalmente enquanto pessoa gorda até então. Rotineiramente, se eu não sofria e sofro com atitudes gordofóbicos, sofro e sofria com ações racistas: ou o meu cabelo, os meus traços, a minha mestiçagem, meu tom de pele, meu exotismo – são um problema social para muitos. ~ Não me diga que eu tenha que me aceitar, eu já me aceito, vocês que não rss

O espaço da beleza, do desejo e preferência sexual das pessoas nunca me coube muito – mas o espaço das brincadeiras e piadas ou ser plano b das intenções ~ou melhor plano x, y, z ~ sempre me couberam e isso não é coincidência. As pessoas ainda acreditam que ser gordo é sinônimo de ser feio, incompetente ou inferior.

 

Diversas pesquisas mostram o quanto a gordofobia vai muito além do espelho:

1- Uma pesquisa encomendada pela Skol Diálogos e realizada pelo Ibope em setembro de 2017 indicou que a gordofobia é um fator presente na rotina de 92% dos brasileiros;

Porém apenas 10% daqueles entrevistados manifestaram algum tipo de preconceito contra obesos. ~ou seja, a sociedade e as pessoas, são gordofóbicas, sabendo ou não. Muitos já presenciaram (provavelmente até mesmo compraram a ideia ou não fizeram nada no momento) – entretanto, poucos admitem o seu papel e postura gordofóbica.~

2-  Outra pesquisa diz que na Itália pessoas bonitas têm uma taxa de convocação para entrevistas 50% mais alta em comparação aos “menos bonitos” tomando como parâmetro as suas fotos de perfil. ~as oportunidades para pessoas de beleza não-padrão não são nem de perto as mesmas. Um mundo que ainda vê muita cara – o não branco, o não cis, não hetero, o não patriarcal, o não padrão ainda possui muitas dificuldades nesse mundo.~

3- Um estudo feito com alunos de um curso de MBA dos Estados Unidos mostrou que a diferença entre os salários dos mais bonitos e dos menos atraentes do grupo variava de 10% a 15% – o que significa um acúmulo (ou perda) de até US$ 230 mil ao longo da vida laboral. “As vantagens de uma pessoa bonita começam na escola e a acompanham durante toda a carreira” ~eu sou bonito tá, só tem gente que não vê aahhaah~

 

Gente sigam pessoas gordas nas redes sociais, compartilhem conteúdo, comentem, engajem, contratam, se relacionem e consumam. sigam nas redes sociais @darosatiagao

Referências:

https://www.hypeness.com.br/2017/11/gordofobia-faz-parte-da-rotina-de-92-dos-brasileiros-mas-so-10-assume-preconceito-com-obesos/

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/03/150203_vert_fut_beleza_prejuizos_ml

https://oglobo.globo.com/economia/emprego/pessoas-bonitas-tem-mais-chances-de-serem-chamadas-para-entrevista-de-emprego-9901395

http://www.portaldapropaganda.com.br/noticias/14383/preconceito-combatido-em-novo-filme-de-skol-gordofobia-esta-presente-no-dia-a-dia-de-92-dos-brasileiros/

Compartilhe nas redes sociais
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *